A PSICÓLOGA NO FACEBOOK     |     VÍDEOS     |     CONSULTÓRIO     |     PÁGINA INICIAL

22.4.14

ESPERAR É PERDER TEMPO?


O grande problema dos clichés e das frases feitas é a interpretação que cada um faz. É o uso abusivo de uma verdade universal. “Saber esperar é uma virtude” – quantas vezes já ouviu esta frase? Parece-me óbvio que concorde com ela. Parece-me uma escolha inteligente tentar viver de acordo com este princípio. Desenvolva a sua paciência, seja menos impulsivo, seja capaz de adiar a gratificação e… sentir-se-á com certeza muito mais feliz. As pessoas que controlam de forma eficaz a ansiedade colhem benefícios nas mais variadas situações:

Aguardam pacientemente pela resposta a um e-mail ou a um telefonema em vez de bombardearem a outra pessoa com 300 mensagens por dia e, em função disso, vivem relações pessoais e profissionais muito menos tensas.

Sabem poupar. Não se descontrolam em compras supérfluas nem sentem que “têm de” comprar isto ou aquilo para serem mais felizes. Adiam a gratificação e têm muito presente a sua meta.

Divertem-se sozinhas, sem dramas. O amigo atrasou-se e deixou-o pendurado à porta do cinema? A pessoa que saiba esperar não vai desesperar. Compreende a situação, é solidária e… ainda é capaz de utilizar o tempo de espera para fazer qualquer coisa de interessante sozinha.

Permitem que as suas relações amadureçam e evitam tomar decisões impulsivas. Porquê casar ao fim de uma semana? Há um tempo para tudo e as pessoas menos ansiosas sabem que há demasiados riscos associados à impulsividade. Fazer escolhas importantes antes do tempo é agir sem possuir a segurança necessária e arriscar o arrependimento.

Mas será legítimo “esticar” este cliché ao ponto de cruzar os braços e ficar à espera que a vida e os seus problemas se resolvam sozinhos? Será razoável continuar à espera que um parceiro mude mesmo quando o seu comportamento mostra agressividade, irresponsabilidade ou desrespeito? Será inteligente esperar que um patrão incompetente e inseguro um dia o valorize e recompense na medida certa? Será dignificante continuar a mostrar interesse por um “amigo” que só lhe telefona para pedir favores e ficar à espera que um dia ele mude?


Saber esperar é e continuará a ser uma virtude. Mas há (demasiadas) situações em que ficar à espera é perder tempo. Continuar a investir numa relação – amorosa, de amizade, profissional – marcada pelo desequilíbrio, pela assimetria, pela desvalorização ou pelo desrespeito não é uma virtude. Pode até ser sinal de humilhação.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...