A PSICÓLOGA NO FACEBOOK     |     VÍDEOS     |     CONSULTÓRIO     |     PÁGINA INICIAL

27.7.15

3 PASSOS PARA EVITAR QUE O TRABALHO MATE A SUA RELAÇÃO


Sempre que duas figuras públicas se separam levanta-se a hipótese de a relação ter chegado ao fim por falta de tempo ou porque não foi possível conciliar as respetivas carreiras profissionais com as exigências de um casamento. Como se fosse praticamente impossível manter uma relação quando ambos trabalham de forma intensa. Afinal, o que é que é preciso (fazer) para que o amor sobreviva aos constrangimentos profissionais? O que é que os casais felizes de dupla carreira (incluindo algumas figuras públicas bem conhecidas) fazem para manter o amor vivo e não serem engolidos pelo trabalho?

CRIAR TEMPO A DOIS

O segredo não está só em criar oportunidades para sair a dois. É preciso que haja compromisso. O que é que isso quer dizer? Estes casais precisam de encarar os momentos a dois com a mesma seriedade e a mesma dedicação com que olham para os seus compromissos profissionais. Alguns casais optam por incluir estes momentos na sua agenda profissional e ESCOLHEM tratá-los como MUITO IMPORTANTES. Claro que isso depende sobretudo do compromisso que forem capazes de assumir um com o outro.



E em que consistem estes compromissos? Isso varia de casal para casal. Há pessoas que se comprometem com saídas semanais que incluem jantar fora e fazer uma noitada com o mais-que-tudo. Outras reservam algum tempo todas as noites para ESTAR a dois. E mesmo que não haja nada para fazer, o compromisso é gerido como importante.

Há também cada vez mais casais que optam por comprometer-se com algumas horas por semana sem telemóvel. Se ambos têm acesso ao e-mail e às redes sociais através dos smartphones, estes momentos 'sem rede' e sem obrigações podem ser a única forma de estar 'lá' por inteiro. E só assim é que as coisas continuam a fazer sentido.

BOA COMUNICAÇÃO

Um dos 'segredos' dos casais que vivem felizes uma vida inteira são as conversas diárias. Mais do que os presentes, a capacidade para resolver conflitos ou a frequência das relações sexuais, é a comunicação no dia-a-dia que faz TODA a diferença.

Os casais que continuam a querer estar juntos esforçam-se por aceder ao mundo de cada um a um ritmo diário. Eles não conversam muito sobre a própria relação.  Eles conversam muito sobre aquilo que mexe com cada um - sobre as vitórias e as derrotas profissionais, sobre as birras das crianças, sobre o processo de emagrecimento de um deles, sobre a multa que o outro apanhou e sobre todas as ninharias do quotidiano.


A intenção é boa mas nada poderia estar mais longe da realidade. Aquilo que mexe connosco -no trabalho ou noutra área qualquer - deve ser partilhado com a pessoa que escolhemos para estar ao nosso lado. Quando não o fazemos arriscamo-nos a permitir que, passado algum tempo, sintamos que estamos casados com um estranho.

ATENÇÃO: Conversar sobre trabalho NÃO é ligar o computador todas as noites e continuar a trabalhar. Também não é falar ininterruptamente e não querer saber da vida do outro. É partilhar sem fazer da pessoa que está  ao nosso lado um saco de pancada.

Não são só as conversas de final de dia que caracterizam as relações felizes de dupla carreira. São as SMS enviadas imediatamente antes de uma reunião importante a desejar boa sorte e a mostrar que, no meio de todos os outros compromissos, há um que se destaca (a relação). São os telefonemas ao longo do dia para saber se está tudo bem ou para mandar um beijinho (mesmo que durem 2 minutos). E também são os e-mails que se escrevem quando o outro está 'preso' no avião ou numa reunião.


Quando uma pessoa escolhe focar-se no que mexe com o outro e lhe dedica tempo e disponibilidade, constrói-se uma sensação de pertença que faz com que tudo se torne mais fácil.

Ter uma boa comunicação também é ser capaz de mostrar de forma clara a admiração mútua e os casais felizes sabem disso. Isso significa que são capazes de elogiar de forma clara os sucessos do companheiro, significa que aplaudem mesmo quando o seu próprio percurso profissional está minado de stress e desafios. Significa que continuam a dizer 'gosto de ti' e 'és importante para mim' sob a forma de elogios sinceros.

ESTAR DE ACORDO EM QUESTÕES FUNDAMENTAIS

Filhos. Fronteiras com a família alargada. Saídas individuais com pessoas do sexo oposto. Estas são algumas das questões que podem unir e separar um casal. Não é preciso que um casal esteja sempre de acordo para ser feliz. Mas é preciso que haja acordo em relação ao que é mais importante. Quando os dois membros do casal valorizam a carreira e o tempo escasseia é ainda mais importante parar para conversar sobre o que aquilo que cada um espera do outro. É importante ter a noção de que, para que a relação dê certo, ambos terão de fazer cedências (porventura até em áreas importantes). Mas é crucial que cada um seja absolutamente honesto (sobretudo consigo mesmo) a respeito daquilo de que não está disposto a abdicar. Não adianta empurrar os assuntos difíceis para debaixo do tapete na esperança de que, com o tempo, o companheiro possa mudar. Se há um que quer ter filhos e o outro insiste em dizer que não quer, não é boa ideia esperar que as coisas mudem.


Nenhuma relação está condenada ‘só’ porque os membros do casal não estão em sintonia nalguns pontos. Aquilo que é preciso é que haja uma base comum, um ‘nós’. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...