A PSICÓLOGA NO FACEBOOK     |     VÍDEOS     |     CONSULTÓRIO     |     PÁGINA INICIAL

27.12.10

PARA O CASAMENTO DAR CERTO…

Já aqui falei num dos mais importantes investigadores na área da satisfação conjugal, o Professor John Gottman, que estuda há várias décadas os factores que contribuem para que uma relação amorosa dê certo. Ora, segundo este autor, qualquer pessoa pode olhar para a sua relação e analisar a probabilidade de esta durar ou não. Como? Basta que compare a frequência com que é amável para o companheiro com a frequência das discussões. Este rácio é um dos mais fiáveis indicadores da qualidade da relação, pelo que funciona como preditor de divórcio. Os casais que passam praticamente o mesmo tempo a discutir e a ser amáveis estão em risco de divórcio. É preciso um rácio de 5 interacções positivas para uma interacção negativa para que a relação esteja segura.

Pense no seu casamento/ namoro – qual é o rácio hoje? Se for inferior a 5 para 1, não se sinta condenado(a). Há formas de reequilibrar as coisas, pelo que se a sua intenção for manter-se nesta relação, pode começar a arregaçar as mangas já hoje, impedindo que o rácio se agudize. Bem sei que, se as interacções negativas têm sido frequentes, é possível que o leitor se sinta injustiçado pelo seu cônjuge ou até que considere que está na altura de ser ele(a) a tomar a iniciativa desta vez. Mas estes pensamentos não são mais do que crenças irracionais que o mantêm preso a ciclos de negatividade.

Por que não toma a iniciativa para uma conversa franca e aberta com o seu cônjuge? Por que não falam sobre aquilo que cada um pode fazer para trazer mais harmonia à relação? Por que não tentam mostrar a gratidão por tudo o que o cônjuge tem feito pela relação? Por que não assumem o compromisso de colocar em prática alguns rituais que lhes permitam fugir ao stress do quotidiano?

Inverter os ciclos de negatividade e, assim, contrariar a probabilidade de ruptura requer reflexão e esforço. Nada muda com um estalar de dedos. Além disso, esperar que o tempo se encarregue de resolver o mal-estar é uma péssima escolha. Quando os esforços de cada um dos membros do casal parecem não ser suficientes, apesar de ainda existirem sentimentos, o melhor é pedir ajuda especializada. Um terapeuta conjugal não faz milagres, mas ajuda os casais que se amam a recuperar a conexão emocional, evitando o desgaste que, fatalmente, conduz à separação.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...